.

.
Clique na imagem acima para acessar nossa nova página no Facebook e interagir com outros leitores e comigo

terça-feira, 25 de novembro de 2008

LITURGIA DA LUZ - Acendimento do Cálice ou Vela de Advento

PRIMEIRO DOMINGO DE ADVENTO

Líder: Nesse período, nós nos voltamos para símbolos como nosso cálice (ou vela) para proclamar nossa crença na luz inextinguível. Em esperançosa antecipação, nos preparamos para a vinda do Reino de Deus. Ouçam a Palavra nas palavras do profeta para este primeiro Domingo deste novo ano cristão:

Todos: Abrimos nossos corações para a Palavra nas palavras.

Leitor: Uma leitura do Profeta Isaías, Capítulo 64, versos 1 a 9. (A passagem é lida)

Todos: Ao iniciarmos nossa jornada à luz, confessamos que nossas vidas nem sempre têm sido vividas da melhor maneira. Nossa vergonha tem nos feito sentir distantes Daquele que é tanto Mãe e Pai de todos nós, em quem vivemos, nos movemos e existimos. Mesmo assim, nossa busca faz com que o Divino se acenda como fogo em nossa alma. E mesmo agora, enquanto aguardamos, ousamos ter esperança.

Líder: Nós que estamos plenos de antecipação, sentimos a esperança se elevar dentro de nós. E assim, acendemos essa primeira vela (esse primeiro cálice) e lhe damos o nome de Esperança.

SEGUNDO DOMINGO DE ADVENTO

Líder: O Advento nos convida a prepararmos nossos corações para a vinda de Jesus. Ao nosso redor, as pessoas se preparam para festas, jantares e presentes. Esses eventos podem nos distrair da verdadeira razão de nossa antecipação. Por outro lado, também podem nos preparar; podem ser as vozes clamando num deserto de materialismo: "Preparem o caminho para a vinda do que é realmente importante."

Todos: Em vez de nos perdermos no deserto das distrações, deixaremos a música e as luzes nos tornarem sensíveis à voz que mesmo agora chama nossos nomes. Ouviremos a Palavra em meio às palavras e mesmo no barulho.

Leitor: Uma leitura do Profeta Isaías, Capítulo 40, versos 1 a 11. (A passagem é lida)

Todos: Nesta época de pressa e agitação, somos tentados a comprar o espírito natalino. Neste momento, resistimos essa tentação e escolhemos, em vez disso, estar em paz com quem somos e com onde estamos nessa jornada. Deixaremos que esse tempo nos prepare, e ouviremos o chamado de Deus para sermos aqueles que preparam o mundo.

Líder: Neste segundo Domingo de Advento, escolhemos ser uma presença pacífica nesta época agitada. Então, hoje, acendemos a segunda vela (o segundo cálice) como um ato de preparação e lhe damos o nome de Paz.

TERCEIRO DOMINGO DE ADVENTO

Líder: Esta época de preparação já está na metade, e hoje acendemos nossa terceira vela (nosso terceiro cálice). É rosa para que lembremos que há muito pelo qual devemos nos regozijar.

Todos: Em meio a todas as festas e celebrações, somos um povo que busca a verdadeira alegria nos braços daquele que vem trazê-la. Nós sentimos a vinda da luz que iluminará nossos dias, e por isso ouvimos a Palavra nas palavras do profeta.

Leitor: Uma leitura do Profeta Isaías, Capítulo 61, versos 1 a 4; 8 a 11. (A passagem é lida)

Todos: Nos regozijamos no ungido, que veio e que vem. Com corações alegres, unimos a energia de nossa vida à vida cujo nascimento antecipamos. Com Jesus, nós, também, traremos boas novas aos oprimidos, curaremos os corações feridos, proclamaremos liberdade aos cativos e poremos em liberdade os prisioneiros, e proclamaremos o ano da graça divina.

Líder: Para nós, Deus substituiu nosso choro com o óleo da alegria, e por isso acendemos esta terceira vela (este terceiro cálice) e lhe damos o nome de Alegria.

QUARTO DOMINGO DE ADVENTO

Líder: A lembrança do amor é longa. Ao chegarmos ao último domingo de Advento, nos recordamos das muitas vezes que estivemos aqui antes com tanta coisa que ainda não fizemos e tanto amor que ainda não expressamos. A leitura da Bíblia Hebraica hoje relembra uma promessa ao Rei Davi, que a igreja cristã entende como tendo sido cumprida no nascimento de Jesus. A promessa do Amor é freqüentemente mantida de maneiras inesperadas.

Todos: O Amor divino dura para sempre. Num mundo no qual mesmo as folhas verdes secam e morrem, o Amor divino é a única realidade da qual podemos depender. Hoje nos preparamos para a expressão desse amor, ao ouvirmos a Palavra nas palavras.

Leitor: Uma leitura do Segundo Livro de Samuel, Capítulo 7, versos 1 a 11; 16. (A passagem é lida)

Todos: O Amor divino dura para sempre. Por meio de atos tão simples e comuns quanto o nascimento de uma criança, Deus transforma o mundo, e as promessas de Deus são cumpridas. É essa expressão de amor fiel que antecipamos e celebramos hoje. É essa promessa que traz luz à nossa escuridão mais profunda.

Líder: Assim, acendemos a quarta vela (o quarto cálice) em antecipação à promessa divina, o que mais podemos fazer além de lhe darmos o nome de Amor?

VÉSPERA/DIA DE NATAL

Líder: Por semanas temos ouvido mensagens obscuras de antigos profetas. Em suas palavras podemos ver imagens da luz prometida. Agora, apesar de todas as velas (todos os cálices) de antecipação terem sido acesas, ainda há uma última profecia para ser ouvida.

Todos: Com olhos abertos, ouvidos atentos e corações destrancados, nos reunimos mais uma vez para recebermos a Palavra dentro das palavras.

Leitor: Uma leitura do Profeta Isaías, Capítulo 9, versos 2 a 7. (A passagem é lida)

Todos: Hoje essas palavras se cumprem em nosso ouvir e em nosso viver, pois a promessa de Deus veio até nós. Nossas vidas são a manjedoura na qual o Cristo nasce. Não buscamos mais luz em outros lugares; agora a luz arde em nossos corações e nós nos tornamos a lâmpada do amor.

Líder: Assim, acendemos a vela (o cálice) no centro de nossa guirlanda e de nossa fé. Acendemos em nome daquele que é a luz, e, como Maria fez há muito tempo atrás, chamamos essa luz de Jesus.

Postar um comentário