.

.
Clique na imagem acima para acessar nossa nova página no Facebook e interagir com outros leitores e comigo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Liturgia da Santa Comunhão - 14 de Novembro de 2010


CONGREGAÇÃO UNITARISTA DE PERNAMBUCO
Mentes Abertas – Mãos Abertas – Corações Abertos

Ofício Bilingue - Bilingual Service

25º Domingo Depois do Pentecoste – 14 de novembro de 2010
25th Sunday After Pentecost – November 14, 2010


Canção de InspiraçãoSong of Inspiration: “Yeliel (My Angel)” – Coral/Choir

Just like the sea
No one possesses you
And no one can go down to
The deepest side of you

Just like a tree
Decades and memories
Articulate and seal
Every one of your dreams

When I need you I secretly sing you this part of my soul

[Chorus:]
Yeliel, my angel
Know that I can hear you
And every word you speak is holy
Wind caressing me
Yeliel, my angel
Know that I can see you
And when I fall I feel your arms around my destiny
Protecting me

I do believe
Some things are mysteries
The simple fact that we stand alive
that we breathe
Why do I love
Why do I hate and die
Where do these things all lie
I don't know why I cry

When I need you I secretly sing you this part of my soul
[Chorus]
Why do I love
Why do I hate and die
Where do these things all lie
I don't know why I cry
When I need you I secretly sing you this part of my soul
[Chorus]


Chamado à Reunião – Gathering Call: Marta Melo

Nos reunimos admirados pela Vida,
Para celebrar a vida e a comunidade.

Abraçamos a todos com amor incondicional e aceitação graciosa,
Todos são bem-vindos, todos são valorizados.

Hoje celebramos o Amor e a Amizade,
Nos comprometemos com o ensino de Jesus de amor incondicional.

Encontramos uma janela para o Deus de muitos nomes em Jesus,
E também encontramos inspiração nas palavras de outros que buscaram a Deus.

Somos uma comunidade de mentes, mãos e corações abertos,
Trabalhando e vivendo pela justiça e paz no mundo.

Buscamos expressões e experiências de Deus dentro, entre e além da palavra, pensamento e ação.
Juntos continuamos a aventura humana.


Canção de Reunião – Gathering Song: “Podes Crer” (Cidade Negra) – Coral e Todos/Choir & All

O que é, meu irmão
eu sei o que te agrada
e o que te dói, e o que te dói

É preciso estar tranquilo
pra se olhar dentro do espelho
refletir
o que é?

Seja você quem for
eu te conheço muito bem
isso faz bem pra mim
isso faz bem pra vida

Onde quer que vá
eu vou estar também
eu vou me lembrar
daquela canção que diz

parapapapa....

Bendito
encontro
na vida
amigo

É tão forte quanto o vento quando sopra
tronco forte que não quebra, não entorta
podes crer, podes crer,
eu tô falando de amizade

Oração/Prayer: Diácono Elias Santana (português)/Deacon Lars Channing (English)

Diáconos/Deacons: Deus esteja com vocês - God be with you
Todos/All: O espírito de Deus está aqui. - God's spirit is here.

Amado Deus, Mistério e Vida do Universo, nos reunimos aqui para celebrar as dádivas com as quais nos abençoastes. Nos reunimos aqui para aprender a amar o mundo, para aprender a perdoar, para aprender a sorrir. Que teu espírito de amor e compreensão possa nos preencher. Que possamos ser tua presença para outras pessoas. Que possamos amar incondicionalmente a todos. Esta é nossa oração. Amém.

Loving God, Mystery and Life of the Universe, we gather together to celebrate all the gifts with which you have blessed us. We gather here to learn how to love the world, to learn how forgive, to learn how to smile. May your spirit of love and understanding fill us. May we be your presence to other people. May we love all unconditionally. This is our prayer. Amen.

Canção/Song: “Side” (Travis) – Rev. Gibson da Costa/Cristina Wolfenson/Shannon/Coral

Well I believe there's
Someone watching over you
They're watching
Every single thing you say
And when you die
They'll set you down
And take you through
You'll realise one day

That the grass is always
Greener on the other side
The neighbour's got a new car
That you wanna drive
And when time is running out
You wanna stay alive

We all live under the same sky
We all will live, we all will die
There is no wrong,
There is no right
The circle only has one side

We all try hard to live
Our lives in harmony
For fear of falling swiftly overboard
But life is both a major and minor key
Just open up the chord

...


1ª Leitura / 1st Reading: Isaías 65:17-25 / Isaiah 65:17-25

Leitor: May God Bless the Hearing of these words. / Que Deus abençoe os que ouvem essas palavras.
Todos/All: Amen. / Amém.

Salmo / Psalm: Isaías 12 / Isaiah 12


Canção do Evangelho – Gospel Song: “Ancient Words” - Choir

Holy words, long preserved
for our walk in this world
they resound with God's own heart
oh let the ancient words impart

Ancient words ever new
Changing me and changing you
We have come with open hearts
Oh, let the ancient words impart

Leitura do Evangelho / Gospel Reading: Rev. Gibson da Costa

Lucas 21:5-19 / Luke 21:5-19

Sermão / Sermon: Rev. Gibson da Costa

AFIRMAÇÃO DE FÉ:

MINISTRO: Não estamos sozinhos. Vivemos no mundo de Deus.

TODOS: Cremos em Deus: que criou e está criando, que enviou-nos Jesus, como anunciador de Sua Palavra, para reconciliar e tornar novo, que opera em nós e em outros pelo espírito. Confiamos em Deus. Somos chamados a ser a igreja: para celebrar a presença de Deus, para viver com respeito na Criação, para amar e servir aos outros, para buscar a justiça e resistir ao mal, para proclamar a mensagem de Jesus, nosso modelo de amor incondicional.

MINISTRO: Na vida, na morte, na vida além da morte, Deus está conosco.

TODOS: Não estamos sozinhos. Graças a Deus.

ORAÇÕES DO POVO


CELEBRAÇÃO DA SANTA COMUNHÃO
(com a participação especial das crianças e jovens da Congregação)

Nota aos Visitantes: Nossa congregação celebra uma comunhão aberta. Entendemos a partilha do pão e do cálice em nome de Jesus como uma representação de uma antiga visão do banquete de Deus para todas as pessoas. Não exigimos que você seja um membro desta congregação, ou de qualquer outra, para participar conosco nesta celebração. Simplesmente venha adiante, seguindo a fila. Depois de mergulhar um wafer na taça, o ministro a colocará em sua língua e oferecerá uma breve benção. Se você preferir se servir, ponha suas mãos diante de si, no formato de concha, quando vier receber a comunhão. Se você não desejar receber a comunhão, pode permanecer em seu assento durante a distribuição da mesma.

A Organização da Mesa de Comunhão

Ministro: Por que temos uma mesa aqui?

Todos: Temos uma mesa porque somos criados e chamados por Deus para sermos um povo que se reúne em comunidade, para sermos alimentados em relacionamentos.

Ministro: Por que temos uma toalha sobre a mesa?

Todos: Temos uma toalha sobre a mesa porque Deus está entrelaçado às nossas vidas e somos cobertos com o amor de Deus.

Ministro: Por que temos velas sobre a mesa?

Todos: Temos velas sobre a mesa porque Deus é nossa luz e salvação, pois para Deus até mesmo a escuridão é como a luz. Como humanos somos chamados a ser a luz para o mundo.

Ministro: Por que temos flores sobre a mesa?

Todos: Temos flores sobre a mesa para nos lembrarmos do mistério e beleza da graça de Deus.

Ministro: Por que temos pão e vinho sobre a mesa?

Todos: Temos pão e vinho sobre a mesa como símbolos dos dons da criação de Deus.

(Os jovens e crianças participam neste ritual, trazendo a toalha e cobrindo a mesa, colocando os símbolos usados na cerimônia sobre a mesa, e acendendo o Cálice Flamejante.)

Orações

Ministro: Que todos aqueles que respiram conheçam sua liberdade vindo a esta mesa. O dever não pode trazê-lo aqui, nem o medo causado pela conformidade pode mantê-lo distante, pois esta mesa está em todos os lugares.

Todos: Nesta mesa, todo o ódio é desmembrado, o amor é relembrado, pois a lembrança não é um peso aqui.

Ministro: Venham todos, não confundindo a humildade com a auto-humilhação, nem a adoração com uma arte cerimonial. Venham com sua crença ou descrença, pois a fé é mais profunda que a crença, a comunhão mais elevada que a descrença.

Todos: Estamos aqui nesta tua mesa, Espírito, e tu estás aqui em nossa mesa, moldado por nossas palavras e atos.

(O pão e o vinho são elevados e, então, há silêncio.)

Lembremo-nos

Ministro: Todos os povos, em todos os tempos, têm considerado com admiração o mistério da vida e do crescimento. Todos os povos têm encontrado símbolos para expressarem reverência pelas forças de vida e maneiras de celebrarem sua dependência desta terra que nos alimenta. Pão e vinho são esse tipo de símbolos. E a Comunhão é uma maneira de celebrar tanto os dons que nos foram dados quanto a comunidade de relacionamentos na qual os usamos. Jesus e seus seguidores partilharam pão e vinho em sua última refeição juntos, e para eles aqueles elementos tinham um significado a mais, por serem partilhados durante o Pêssach (Páscoa) - um tempo de ritual no qual a libertação do povo hebreu da escravidão era comemorada.

Jesus usou o pão e o vinho como símbolos da libertação que o amor que ele pregava significaria para aqueles que entendiam sua mensagem. Ele segurou o pão e derramou o vinho, e disse:

"Façam isso em minha memória."

Partilhemos o pão juntos e partilhemos a taça de vinho em memória de Jesus, como ele pediu.

Lembremo-nos também de todos aqueles homens e mulheres que trabalham duro em todos os muitos tipos de campos e vinhedos, cujos fardos são pesados, e lembremo-nos que esses símbolos precisam ser para nós símbolos de libertação.

Lembremo-nos da própria terra, da qual, como nós mesmos, vêm o pão e o vinho, e para onde retornarão todas as coisas terrenas.

Lembremo-nos que este é um ato ritual de partilha, e que ao nos juntarmos para adorar nos unimos com nossas irmãs e irmãos de todas as etnias e religiões; pois todos nós buscamos sentido em meio ao mistério, todos nós encontramos aquilo que é digno de nossa admiração mais profunda. Damos a isso muitos nomes, mas o senso de que somos parte de um todo muito maior e mais vasto é o sentimento que partilhamos.

E finalmente, estejamos em silêncio juntos, enquanto cada um de nós se lembra de um momento sagrado pessoal e privado: Amém.

Orações

Somos gratos pela vida, ó Vida da vida. Louvada sejas, ó Bondade, por todo o bem. Louvada sejas, ó Verdade, por toda a verdade. E louvada sejas, ó Beleza, pelas maravilhas e sinais.

No amor demonstrado e na forte coragem, desde os dias dos antigos até agora: em atos de liberdade contra fatos de tirania, vemos teu poder. Em palavras autênticas ditas em tempos de mentiras, dos dias dos profetas até agora: na claridade não ferida pelo paradoxo, vemos teu poder. No equilíbrio e justiça e símbolo, dos dias dos salmistas até agora; nas proporções que pregam contra a distorção e a medonha ganância, vemos teu poder.

E vemos teu poder em nosso irmão Jesus, que viveu sua vida de acordo com tua vontade, linda e verdadeiramente; o bem fez ele, ao proclamar a Era Futura como sendo o Presente, ao nos ensinar contra o ressentimento, a violência, a fúria e a submissão, ao por um fim às categorias; do ventre de sua mãe ao túmulo de criminoso, ele viveu a vida que matou a morte, tornando nosso desespero uma esperança, tornando nossas diferenças uma comunidade.

Na véspera de sua morte ele nos chamou à vida, e como uma ama de leite não mais nos carregou, e nos tornou livres. Abençoando-te e esse pão festivo, ele disse: "Eis aqui meu corpo; partilhem dele."

Abençoando-te e erguendo esta taça, ele disse: "Eis aqui o pacto renovado que agora inauguro com meu sofrimento. Minha vida o sela: Vocês são todos irmãos e irmãs. Vocês são meus amigos. Amem-se uns aos outros. A nova era está entre vocês. Ao viverem sua vida agora, vocês me lembram ao Eterno e me tornam presente novamente.

Portanto, Espírito de Vida, vem agora, e mova-se em nós. Que este pão comum simbolize para nós o Corpo do qual toda a humanidade é parte, nosso "pão para o amanhã" que partilhamos hoje. Que esta taça comum simbolize para nós o sacrifício exigido de nós antes que o "Reino de Deus" possa começar. Que o pão e a taça sejam para nós aquela comunhão humana que é a nossa plena e única salvação. Vivendo gratamente e discernindo a unidade do Corpo, e celebrando nossa irmandade universal mesmo quando doa fazer isso, proclamamos a Páscoa de maneira mais bela que os lírios, mais verdadeiramente que qualquer doutrina. Portanto, santos são esses dons,

SANTO, SANTO, SANTO!!!

E estes são agora presentes para os doadores, presentes do espírito para pessoas de espírito; portadores de nosso próprio ser, presentes do espírito para pessoas de espírito; belos, verdadeiros e bons, presentes do espírito para pessoas de espírito. Amém.

***A COMUNHÃO É DISTRIBUÍDA


INSPIRAÇÃO MUSICAL: “Os Sinos da Paz”


BENÇÃO FINAL:

Ministro: Que saiamos deste lugar, encarando e servindo o mundo com confiança, generosidade e liberdade. Que possamos viver a essência da religião, que é unir tudo o que está dividido, viver no momento, amar poderosamente e reverenciar o mistério, beleza e espiritualidade de todas as coisas e de todas as pessoas. Amém.


Postar um comentário