.

.
Clique na imagem acima para acessar nossa nova página no Facebook e interagir com outros leitores e comigo

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Citação Unitarista 2

Entre 1735 e 1805, duas gerações de religiosos liberais, comumente chamados de Arminianos, rejeitaram os padrões tradicionais calvinistas de pensamento e desenvolveram um novo conjunto de teorias a respeito da natureza humana e do destino humano.

A posição doutrinária dos liberais combinou três tendências que podem ser logicamente distinguidas: o Arminianismo, o racionalismo sobrenatural, e o anti-trinitarismo. O Arminianismo afirmava que os homens nasceram com a capacidade tanto para cometer o pecado quanto para praticar a retidão; que eles podem responder ao impulso para a santidade e ceder à tentação para fazer o mal; e que a vida é um processo de teste e disciplina pelo qual, com a assistência que Deus dá a todos, a escravidão ao pecado pode ser gradualmente vencida. Essa afirmação da habilidade humana contrasta com a crença calvinista de que a natureza inata humana seja pecaminosa, que Deus decretou felicidade infindável para alguns e tormento eterno para outros, e que a salvação vem como um presente imerecido do Espírito Santo de Deus.

O racionalismo sobrenatural, aceito por muitos calvinistas além dos liberais, foi virtualmente a teologia ortodoxa da Era da Razão. Afirmava que a razão não-auxiliada pode estabelecer o essencial da religião natural: a existência de Deus, as obrigações da moralidade, e uma ordem divina de recompensas e punições. Mas diferentemente do Deísmo, insistia que a religião natural devesse ser suplementada por uma revelação especial da vontade de Deus. A Bíblia é tal revelação, que reforça a religião natural, declarando suas obrigações mais clara e impressivamente; e proclama o evangelho da redenção por meio da perfeita obediência de Cristo, que a razão não-auxiliada jamais poderia ter descoberto...

Finalmente, os liberais tendiam a ser anti-trinitários, principalmente por não estarem convencidos de que a doutrina da Trindade estivesse nas escrituras. A maioria deles eram arianos, crendo que Cristo, enquanto não parte da Divindade, fosse um ser de nível mais elevado na Criação que um mero homem.

- Conrad Wright, The Beginnings of Unitarianism in America, Beacon Press, 1966.
Postar um comentário