.

.
Clique na imagem acima para acessar nossa nova página no Facebook e interagir com outros leitores e comigo

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

As Teses do Bispo John Shelby Spong


1. O Teísmo, como uma forma de definir Deus, está morto. Desta forma, a maior parte da linguagem teológica a respeito de Deus não faz sentido hoje. Uma nova forma de falar a respeito de Deus deve ser encontrada.


2. Já que Deus não pode ser mais concebido em termos teísticos, não faz sentido tentar entender Jesus como a encarnação de uma deidade teística. Sendo assim, a Cristologia dos séculos está falida.


3. A narrativa bíblica da criação perfeita e acabada da qual os seres humanos caíram no pecado é mitologia pré-Darwiniana, e absurdo pós-Darwiniano.


4. O nascimento virginal, entendido como biologia literal, torna a divindade de Cristo, como tradicionalmente compreendida, impossível.


5. As narrativas de milagres do Novo Testamento não podem mais ser interpretadas num mundo pós-Newtoniano como eventos sobrenaturais realizados por uma divindade encarnada.


6. A visão da cruz como um sacrifício pelos pecados do mundo é uma idéia barbárica baseadas em conceitos primitivos de Deus, e devem ser abandonadas.


7. A Ressurreição é uma ação de Deus. Jesus foi ressuscitado no significado de Deus. Não pode, desta forma, ser uma ressurreição física ocorrida na história humana.


8. A narrativa da Ascensão supõe um universo de três dimensões, e não é desta forma, capaz de ser traduzida nos conceitos pós-copérnicos da era especial.


9. Não há nenhum padrão externo, objetivo, revelado em escritura ou tábuas que governarão nosso comportamento ético por todos os tempos.


10. Oração não pode ser um pedido feito a uma divindade teística para agir na história humana de uma maneira específica.


11. A esperança de vida após a morte deve ser separada para sempre da mentalidade de controle de comportamento de recompensa e punição. A igreja deve abandonar, então, sua dependência na culpa como um motivador de comportamento.


12. Todos os seres humanos representam a imagem de Deus e devem ser respeitados pelo que são. Desta maneira, nenhuma descrição externa de um ser, seja baseado na raça, etnia, gênero ou orientação sexual, pode apropriadamente ser usada como base para rejeição ou discriminação.




John Shelby Spong, nascido em 16 de junho de 1931 em Charlotte, Carolina do Norte, Estados Unidos, é bispo aposentado da Diocese Episcopal de Newark (Newark, Nova Jersey). Ele é um teólogo liberal, biblicista, escritor e comentador religioso. Ele promove causas tradicionalmente liberais, como a igualdade racial e os direitos de mulheres e gays e lésbicas. Ele também clama por uma reavaliação da fé cristã, longe do teísmo e da crença na vida após a morte como recompensa ou punição pelo comportamento humano.
Postar um comentário